Plaquetas baixas: o que isso significa? Cuidados necessários

Plaqueta baixa é uma redução da quantidade de plaquetas no sangue, o que pode provocar uma série de problemas à saúde, como manchas avermelhadas e roxas pela pele, sangramento frequente pelo nariz e pela gengiva, bem como urina em tom avermelhado.

Essa condição, que também é conhecida como Trombocitopenia e Plaquetopenia, prejudica a capacidade de coagulação do sangue, fazendo com que processos de cicatrização sejam mais demorados e que ocorram maiores riscos de surgimento de hemorragias.

Mas, afinal, como saber se a pessoa tem plaquetas baixas e como tratar esse problema? A seguir, confira como tudo isso é possível e saiba mais sobre essa condição.

O que causa as plaquetas baixas

São várias as causas da queda da quantidade de plaquetas no organismo, cabendo ao médico analisar o caso do paciente, a fim de diagnosticar precisamente o que está provocando essa situação. Entre os principais fatores que podem levar à Trombocitopenia, destaque para:

Deficiência de ferro, vitamina B12 ou ácido fólico

O ferro, a vitamina B12 e o ácido fólico são nutrientes essenciais para a formação das plaquetas. Se o organismo não tiver uma quantidade suficiente dessas substâncias, a produção cai significativamente.

Destruição de plaquetas

As plaquetas vivem por cerca de 10 dias no organismo, podendo ser que doenças específicas causem a destruição delas, provocando a Trombocitopenia. Entre essas enfermidades estão a dengue e as doenças autoimunes, por exemplo.

Uso de medicamentos

Alguns fármacos têm a capacidade de destruir as plaquetas, reduzindo a sua quantidade. Anti-inflamatórios, heparina, e anti-hipertensivos são remédios que provocam a Trombocitopenia.

Alterações no funcionamento da medula óssea

As plaquetas são produzidas na medula óssea e, quando há uma alteração no seu funcionamento, também ocorre a Trombocitopenia. Doenças, infecções e câncer na medula podem modificar o bom funcionamento, bem como a realização de quimioterapia e radioterapia.

Mal funcionamento do baço

O baço é o órgão responsável por tirar as plaquetas velhas do organismo, mas, quando ele não funciona corretamente, pode haver a eliminação de plaquetas novas e saudáveis, reduzindo a quantidade delas no organismo.

Consumo excessivo de álcool

A substância pode levar à redução natural das plaquetas, porque possui alta toxicidade, comprometendo as células do sangue e afetando a sua produção pela medula óssea.

Gravidez

A gestante pode ter Plaquetopenia Fisiológica, que ocorre por conta da diluição do sangue promovida pela retenção de líquidos situação comum durante a gravidez. Tal problema é resolvido imediatamente após o parto.

O que pode ser quando as plaquetas estão baixas?

As plaquetas baixas podem indicar uma série de problemas de saúde ou condições associadas ao organismo, sendo as principais as seguintes:

  • Alimentação pobre em nutrientes;
  • Desnutrição;
  • Problemas gástricos e intestinais, que geram sangramento oculto;
  • Alcoolismo;
  • Infecções virais (dengue e Zika, por exemplo) ou por bactérias;
  • Doenças autoimunes (lúpus e síndrome hemolítica-urêmica são exemplos);
  • Doenças que acometem a medula óssea;
  • Cirrose hepática;
  • Amiloidose (acúmulo de proteína amiloide em órgãos);
  • Sarcoidose (surgimento de células inflamatórias pelo corpo);
  • Gravidez.

Como diagnosticar as plaquetas baixas?

Trata-se de um problema que é diagnosticado pelo exame de sangue, que é colhido e analisado em laboratório ou hospital. O procedimento é simples e rápido, tanto que o resultado sai em poucos dias.

Valor de referência no exame de plaqueta baixa

Para que a pessoa seja diagnosticada com plaquetas baixas, é preciso que seu exame tenha identificado uma contagem inferior a 150.000 plaquetas por mm3. Pessoas saudáveis têm quantidade igual ou superior a esse valor.

Sintomas de plaqueta baixa

A quantidade reduzida de plaqueta é uma condição que, muitas vezes, não provoca sintomas. Isto só ocorre quando o número é realmente pequeno, podendo causar:

  • Sangramento pelo nariz e pela gengiva;
  • Manchas roxas ou avermelhadas na pele;
  • Urina e fezes com presença de sangue;
  • Dificuldade de coagulação, notada ao sofrer um ferimento;
  • Fluxo menstrual intenso.

Tratamento para plaquetas baixas

Existem diferentes formas de tratamento, para normalizar o número de plaquetas no sangue. Dependendo do caso, o médico pode indicar a adoção de algumas medidas:

  • Administração de corticoides, imunossupressores ou esteroides;
  • Suspensão de eventuais medicamentos que podem causar o problema ou do consumo do álcool;
  • Alterações na dieta, passando a consumir maior quantidade de ferro, vitamina B12 e ácido fólico;
  • Remoção do baço, quando o órgão apresenta problema de funcionamento;
  • Filtragem do sangue;
  • Transplante de medula óssea (recomendado somente em casos mais graves, em que há alto risco à saúde do paciente).

Giro Letra